1001 Livros para ler antes de morrer – Peter Boxall

1001 livros pra ler antes de morrer

Localização na estante: G011.73 M637u e.1

1001 Livros para ler antes de morrer é um guia ideal para os amantes da literatura. Pois retrata de maneira abrangente a literatura mundial proporcionando ao leitor uma viagem fantástica por diversos países e culturas diferentes.

Do professor de literatura inglesa, Peter Boxall, esta é mais uma obra fascinante da coleção que reúne 1001 histórias e curiosidades em cada exemplar, seja relacionado a literatura, filmes, vinhos, discos, comidas, fatos históricos ou as maravilhas do mundo.

Partindo de um cronograma que segue desde o ano de 850 até 2009, o livro faz um apanhado geral de diversas obras como: As mil e uma noites (autor anônimo), Dom Quixote (Miguel de Cervantes Saavedra), As aventuras de Sherlock Holmes (Sir Arthur Conan Doyle), Dom Casmurro (Machado de Assis), … E o vento levou (Margaret Mitchell), O senhor dos anéis (J. R. R. Tolkien), O poderoso chefão (Mario Puzo), Tudo se ilumina (Jonathan Safran Foer), Budapeste (Chico Buarque), uma obra repleta de grandes autores e histórias.

Vale a pena conferir e se saborear nas mais diversas histórias que envolvem a criação de obras inesquecíveis!

Saboreie alguns trechos:

“Dom Quixote acabou enlouquecendo de tanto ler romances de cavalarias e resolveu imitar os cavaleiros antigos, primeiro obtendo uma armadura (de papelão) e um cavalo (um pangaré cansado), e depois sagrando-se cavaleiro. Adentra uma taverna, pensando ser um castelo, encontra prostitutas que julga serem damas da sociedade, se dirige a elas e ao taverneiro num linguajar tão literário que eles nada entendem, e depois tenta ser armado cavaleiro mantendo vigília a noite toda junto à sua armadura. A transformação absurda dos rituais da cavalaria em seus equivalentes materiais improvisados corresponde a uma dessacralização similar que estava acontecendo na Europa na época.” (p.35)

“Nesse romance, os procedimentos modernos de um detetive constituem um tema tão importante quanto o assassinato em si. As críticas veladas que o autor faz aos métodos da polícia dão sustentação tanto ao enredo quanto a um instigante estudo sobre as imperfeições humanas, e é esse aspecto particular que distingue O juiz e seu carrasco de outras obras do gênero.” (p.480)

 

Ouça aqui 1001 Livros para ler antes de morrer

Anúncios