Cândido, ou O Otimismo

download

Localização na estante: G 843 V 935c e.1 PISO 2 (Direita – Bloco 1)

          O livro possui uma leitura agradável, com uma riqueza de detalhes, que faz com que o leitor imagine a cena e os personagens, passando a ter sentimentos de alegria e raiva.

          O enredo conta com episódios que se não fossem tão trágicos, seria cômico. Podendo se aproximar em alguns capítulos de um humor negro.

          Situa o leitor para vários fatos históricos, tais como: A Guerra dos sete anos, o terremoto que arrasou Lisboa, a Santa Inquisição.

      Possui uma pitada de humor, sarcasmo, romance, sátira e terror com um personagem que diversas vezes pode ser considerado um tolo, pois durante a história passou por inúmeras desgraças e ainda procurava o otimismo de que seu mestre tanto falava.

Ouça aqui Cândido, ou O Otimismo

Texto elaborado em pareceria com a Disciplina: Leitura e escrita: fundamentos, práticas e ensino do Curso de Pedagogia

Os Sofrimentos do Jovem Werther – Johann Wolfgang von Goethe

 

Em “Odownload (20)s sofrimentos do jovem Werther” de Goethe, o personagem principal vai trabalhar longe de casa e por esse motivo começa a escrever cartas ao amigo Wilhelm, narrando o quanto tem sofrido pelo amor de uma moça que conhecera em sua nova cidade. Mesmo sabendo que sua amada é comprometida com Albert, Werther alimenta essa paixão com voluptuosidade. Nas cartas ele conta sobre a convivência cotidiana com Charlotte, o que torna o sentimento crescente a cada dia. A obra é a organização das cartas que Wilhelm recebeu e posteriormente publicou. Supostamente inspirada na própria história do escritor, o conteúdo das cartas revela os questionamentos e incertezas do amor, além de demostrar quão sensível era o temperamento do jovem sofredor.

Considerado marco inaugural e obra-prima do romantismo, “Os Sofrimentos do jovem Werther” traz em cada página uma reflexão sobre paixões, subjetividade e a busca pelo impossível, conceitos próprios desse estilo literário. A obra também ficou conhecida mundialmente por ter hipoteticamente ligação com uma série de suicídios após sua publicação, levando ao questionamento de como a literatura pode influenciar na sociedade.

Ouça aqui Os Sofrimentos do Jovem Werther

Texto elaborado em pareceria com a Disciplina: Leitura e escrita: fundamentos, práticas e ensino do Curso de Pedagogia

O Cardume – Frank Schätzing

Localização do livro na estante: G833 / S312c

Localização do livro na estante: G833 / S312c
PISO 2 (Direita – Bloco 1)

Gosta de um toque de suspense e ficção científica? Então O Cardume é um forte candidato para ser sua próxima leitura.

Após centenas de anos esgotando os recursos naturais, a natureza resolveu se vingar da raça humana – e de forma violenta. O mar se tornou a maior ameaça ao homem.

Os oceanos formam um cenário de horror, atingindo pontos espalhados pelo planeta: na costa peruana, um pescador desapareceu; na Noruega, organismos nunca vistos invadiram as profundezas do mar; no Canadá, baleias afundaram embarcações turísticas. Eventos estranhos acontecem também na costa da Columbia Britânica, no Japão e na Alemanha.

Uma catástrofe global se aproxima. A humanidade conseguirá escapar? Como lidar com a fúria da natureza? Quem ou o que está envolvido nesses eventos?

Não espere respostas óbvias para essas questões no livro de Frank Schätzing. Não é à toa que O Cardume foi publicado em 18 países e se tornou best seller na Alemanha, país em que foi lançado, tendo mais de 2 milhões de exemplares vendidos.

Embora seja uma ficção, a história se mostra como realista e bem provável de acontecer. O leitor se vê no cenário de destruição, acreditando que a humanidade pode realmente ser extinta pelas forças da natureza.

Saboreie um trecho:

“Não, eram gritos. Botas pesadas corriam sobre o convés. Alguma coisa estava acontecendo do lado de fora. O tremor aumentou. O navio começou a vibrar e, de repente, alguma coisa o fez perder o equilíbrio. Chiando. Tropeçou de encontro à escrivaninha. No instante seguinte o chão desapareceu sob seus pés, como se o navio inteiro estivesse caindo num buraco. Bauer foi atirado de costas no chão. O medo tomou conta dele, um medo profundo, terrível. Conseguiu levantar-se e cambaleou até o corredor fora da cabine. Gritos mais altos penetralham-lhe os ouvidos. O motor foi ligado. Alguém gritou alguma coisa em islandês, que Bauer não entendeu porque só falava inglês, mas percebeu o terror na voz e o terror maior ainda na voz que respondera”. (p. 265)

A Última Música – Nicholas Sparks

AUltimaMusica_capa

Localização na Estante: G 813/ S736u – Piso 2 (Direita – Bloco 1)

Veronica Miller, mais conhecida como Roonie, ainda não perdoou o pai por ter se separado de sua mãe e ter “abandonado” ela e o irmão em Nova York. Apesar do ocorrido, sua mãe decide que ela e seu irmão, Jonah, devem passar o verão com o pai, que mora na praia de Wilmington, na Carolina do Norte.

Quando pequena, o pai ensinava Roonie a tocar piano, mas depois desse desentendimento, Roonie prometeu a si mesma que não iria mais tocar o instrumento. Nessas férias de verão, ela briga a todo instante com o pai, ao contrário de seu irmão, que se dá muito bem com ele.

Durante um jogo de vôlei de praia, Roonie conhece Will. O jovem dedica seu tempo de folga para mostrar seus lugares favoritos a Ronnie e os dois acabam se apaixonando.

Conforme os dias passam, Ronnie vai descobrindo que conviver com o pai é muito mais fácil do que com a mãe,  e começa a pensar que talvez tenha cometido um erro, desejando recompensá-lo a qualquer custo.

Um livro emocionante que nos ensina a dar valor às pessoas importantes que estão a nossa volta, como a família.

Confira o trailer de A Última Música

 

A Culpa é das Estrelas – John Green

a culpa

Localização na Estante: G 813/ G796c – PISO 2 (Direita – Bloco 1)

A Culpa é das Estrelas é o nome de um livro fictício do escritor norte-americano John Green.

O romance/drama é sobre a vida de dois adolescentes – Hazel Grace Lancaster e Augustus Water – que possuem câncer e se conhecem em um Grupo de Apoio. Apesar de os dois terem uma visão diferente sobre a doença que enfrentam, surge uma amizade entre eles, que no decorrer dos fatos vem a se transformar em uma forte relação amorosa.

À medida em que vão se aproximando, Hazel apresenta a Augustus seu livro preferido: Uma Aflição Imperial. O Augustus, ou Gus, é muito carinhoso e faz de tudo para que ele e sua amada vivam intensamente, desde a um simples piquenique a uma viagem a Amsterdã, para conhecerem o autor do livro preferido de Hazel.

A Culpa é das Estrelas também deu origem a um filme de mesmo nome, lançado em junho de 2014 sob a direção de Josh Boone. A personagem Hazel é interpretada pela atriz Shailene Woodley, e Augustus Water é vivido pelo ator Ansel Elgort. Confira o trailer.

Boa leitura, bom filme!  okay

Melancia – Marian Keyes

Localização na estante: G 891.3/ K44m.10 – PISO 2 (Direita – Bloco 1)

É nome de fruta, mas não é livro de gastronomia.

O romance escrito por Marian Keyes conta a história de Claire, que é abandonada pelo marido James, assumindo um caso com outra mulher. Aos 29 anos, com uma filha recém-nascida, um coração partido e um corpo redondo parecendo uma “melancia” (devido aos efeitos da gravidez), Claire decide se mudar para a casa de seus pais.

É, portanto, com a ajuda de seu pai, sua mãe, e de suas irmãs que vai colocar a cabeça no lugar e recomeçar.

Após vários dias deprimida, Claire começa a avaliar o passado de seu casamento que durou três anos, e é nesse momento em que seu ex-marido James reaparece e muitas coisas irão acontecer.

Ouça aqui Melancia

Trilogia do coração – Nora Roberts

Localização dos livros na estante: Vol I G813 / R646di.6
Vol II G813 / R646L.2 e Vol III G813 / R646c.5
PISO 2 (Direita – Bloco 1)

Trilogia do coração conta histórias mágicas sobre as mais secretas e intensas emoções que os irmãos Gallagher trazem em seus corações.

Em seu primeiro volume, Diamantes do Sol, Nora Robertsinicia contando a história de Jude Muray, uma psicóloga que decide deixar sua carreira e voltar para suas raízes investigando sobre as curiosidades do folclore irlandês e reavaliando sua vida.

Hospedada no antigo chalé da Colina das Fadas, Jude descobre que não está sozinha, pois ali vive o fantasma de Lady Gwen uma mulher que sofre muito por amor. Pois, quando jovem foi apaixonada pelo  Príncipe das Fadas, porém tal romance não fluiu como o esperado e a Gwen coube um encantamento do qual se libertaria apenas quando conseguisse unir três casais, que não sabiam que se amavam, porém aceitariam as diferenças e seriam felizes.

Ao longo da história Jude conhece Aidan Gallagher um belo rapaz que junto a seus irmãos Shawn e Darcy cuida do pub da aldeia e possui um profundo conhecimento sobre os mitos da região. Apesar de cada um enxergar a vida de uma forma, surge a partir de então uma linda amizade. Será este o primeiro casal que Lady Gwen irá unir?

No segundo volume, Lágrimas da Lua, os protagonistas da vez são: Shawn Gallagher o cozinheiro do pub, um homem sonhador que deixa-se levar pelo ritmo da música; e Brenna O’Tolle amiga de infância dos irmãos Gallagher, uma mulher forte, decidida que sempre sentiu algo por Shawn, mas guardou este sentimento até explodir e revelar que o que ela queria dele era sexo! Qual será que foi a reação de Shawn?

Por fim no último volume da trilogia, Coração do Mar, Trevor Magee encantado pela terra onde nasceram seus ancestrais e em parceria com o tradicional pub Gallagher, decide investir na aldeia. É no canteiro de obras de seu empreendimento que conhece Darcy Gallagher, uma mulher ambiciosa que preocupada apenas em desfrutar de bons restaurantes, roupas caras e conforto. Ambos não se deixavam envolver e tampouco estavam afim de um romance. Será que Lady Gwen conseguirá cumprir sua missão?

Tais obras não concentram-se apenas na história dos protagonistas, mas sim em outras histórias que acontecem simultaneamente instigando a curiosidade do desfecho de cada uma. Vale a pena conferir esta obra repleta de magia, sedução e amor!

Saboreie alguns trechos:

“Devagar e terno, ele dissera. Era exatamente assim. Com a luz das velas dançando, a chuva tamborilando suave, e os próprios suspiros povoando a cabeça de Jude, os beijos foram-se tornando mais longos, mais profundos. Parecia que o corpo de Jude adiquirira uma vida própria agora, com o gosto de Aidan, intenso, viril, perfeito”. (p. 197 – Volume I)

“Como ele apnas a observasse, esperando, Brenna ergueu-se nas pontas dos pés e beijou-o na boca. Não tencionava precipitar nada, pois já concluíra que Shawn não permitiria, mesmo que tentasse. Mas, depois da amostra inicial, ela queria mais. Queria tudo. E depressa. Suas mãos se contraíram quando mordeu de leve o lábio inferior de Shawn.” (p. 177 – Volume II)

“E, quando Trevor encostou a mão em sua face, ele ergueu o rosto, levou a boca ao encontro da sua. O tempo foi passando, perdeu a importância, naquela nova e magnífica união dos lábios. O amor oculto no fundo do coração de Darcy despejou-se naquele beijo, sem medo ou vergonha. Mesmo assim, continuou a se avolumar em seu peito, como se fosse uma fonte que nunca secava.” (p. 252 – Volume III)

O Diário de Bridget Jones – Helen Fielding

Localização do livro na estante: G823 / F459d.8

Localização do livro na estante: G823 / F459d.8
PISO 2 (Direita – Bloco 1)

Além de best-seller, esse livro se tornou tão popular que até foi transformado em filmes, que tiveram o mesmo sucesso estrondoso da história original.

Tudo isso graças às trapalhadas de sua personagem principal: Bridget Jones.

No auge de seus 30 anos e em meio a muitos dilemas, essa atrapalhada jornalista resolve fazer promessas de ano novo e escrever um diário.

É nele que conta suas mais divertidas aventuras, como a luta pra diminuir a bebida e os quilinhos a mais, sua paixão quase platônica pelo chefe e a vontade de encontrar um namorado.

Por ser contemporâneo à realidade de muitas mulheres, esse livro foi classificado pelos críticos como inaugurando um novo tipo de literatura, a Chick-Lit, isto é, um romance divertido e marcado pelo humor, feito para retratar a rotina da mulher moderna.

Quer uma leitura agradável e com boas doses de gargalhadas? O Diário de Bridget Jones é uma boa pedida.

Saboreie alguns trechos:

 “Humm. Acordei mal à beça. Para culminar, faltam apenas duas semanas para o meu aniversário, quando terei se admitir que mais um ano se passou, durante o qual todo mundo menos eu virou bem-casado, teve filho, plop, plop, plop, à direita, esquerda, centro, faturou centenas de milhares de libras, progrediu na vida, enquanto eu continuo sem rumo e sem namorado, mantendo relações desestruturadas e uma carreira empacada.” (p.84)

“- Tem certeza de que está tudo certo com você, Bridget?

– Tudo ótimo. Por quê?

– Bom, você aparece na minha casa sem avisar, vestida de coelha disfarçada de dama de honra e fuça todos os quartos. Se não era para espionar alguma coisa, eu gostaria de saber o porquê, só isso.”  (p. 183)

Clique aqui para ouvir: O Diário de Bridget Jones

Gabriela Cravo e Canela – Jorge Amado

Localização do livro na estanteG869.93 / A481g.27PISO 2 (Direita – Bloco 1)

Localização do livro na estante:
G869.93 / A481g.27
PISO 2 (Direita – Bloco 1)

Lançado em agosto de 1958, Gabriela Cravo e Canela é uma das obras mais famosas de Jorge Amado.

O romance já venceu importantes prêmios de literatura (como o “Jabuti” e o “Machado de Assis”), foi traduzido para diversas línguas, transformado em filme, espetáculo de dança e em novelas, conquistando o público e crítica pela irreverência da jovem Gabriela e pela qualidade da obra como um todo.

Gabriela Cravo e Canela é uma crônica da velha Ilhéus nos tempos de riqueza proporcionada pelo cacau. Em busca de trabalho, Gabriela vai em direção a Ilhéus e acaba sendo contratada como cozinheira por um comerciante árabe, Nacib. Não demora para que a jovem provocante chame a atenção dos homens, inclusive a de seu patrão, por sua cor de canela e  cheiro do cravo. Mas o poder de sedução de Gabriela faz crescer o ciúme de Nacib, que se apaixona pela moça e deseja a manter como esposa. Gabriela, contudo, preza por sua liberdade, o que traz mais complicações à trama.

Além da história de paixão e luxúria entre Gabriela e Nacib, a obra remonta disputas políticas e mostra algumas das mudanças sociais que aconteceram naquele período.

Esse livro representa também um marco na escrita de Jorge Amado. Se antes as produções do autor eram mais voltadas para a crítica política e social, em Gabriela o escritor baiano acrescenta um novo elemento em seu texto: o humor.

Saboreie alguns trechos:

A voz de Gabriela era cariciosa mas definitiva:

– Já te disse minha tenção. Vou ficar na cidade, não quero mais viver no mato. Vou me contratar de cozinheira, de lavadeira ou pra arrumar casa dos outros…

Acrescentou numa lembrança alegre:

– Já andei de empregada em casa de gente rica, aprendi a cozinhar.

– Aí tu não vai progredir. Na roça, comigo, a gente ia fazendo seu pé-de-meia, ia tirando pra frente.

Ela não respondeu. Ia pelo caminho quase saltitante. Parecia uma demente com aquele cabelo desmazelado, envolta em sujeira, os pés feridos, trapos rotos sobre o corpo. Mas Clemente a via esguia e formosa, a cabeleira solta e o rosto fino, as pernas altas e o busto levantado. Fechou ainda mais o rosto, queria tê-la com ele para sempre. Como viver sem o calor de Gabriela? (p.8)

O cheiro de cravo,

A cor de canela,

Eu vim de longe,

Vim ver Gabriela. (Moda da zona do cacau) (s.p.)

Clique aqui para ouvir:   Gabriela Cravo e Canela

Capitães de Areia – Jorge Amado

Localização do livro na estante: G869.0(81)-31 / A481ca.45
PISO 2 (Direita – Bloco 1)

Lançado em 1937, Capitães de Areia figura entre os livros mais vendidos de Jorge Amado. A obra mostra a vida dos meninos de rua da cidade de Salvador na década de 1930 – os chamados “capitães de areia” –, revelando o abandono e a vida desses menores.

O romance abre espaço para uma crítica social contada pelas histórias de Pedro Bala e seus companheiros. Esses meninos formavam um grupo, com suas regras e condutas próprias que, sem os cuidados de responsáveis, acabavam se tornando pequenos delinquentes.

Em meio às dificuldades, algumas pessoas apareciam para ajudar os meninos. Contudo, eles eram ainda perseguidos pela polícia e tidos como marginais por muitos da cidade.

Em Capitães de Areia, Jorge Amado traz à tona um fato que é realidade em tantas cidades brasileiras, com as crianças que são tratadas como invisíveis e que, frequentemente por falta de ajuda, passam a praticar atos ilegais.

Pelo tom de denúncia, Capitães de Areia casou grande repercussão em sua publicação. A obra chegou a ser proibida pela censura durante o período dos militares do Estado Novo, podendo ganhar uma nova edição somente sete anos após seu lançamento.

 Saboreie alguns trechos:

 Pedro Bala acordou com um ruído perto de si. Dormia de bruços e olhou por baixo dos braços. Viu que um menino se levantava e se aproximava cautelosamente do canto de Pirulito. Pedro Bala, no meio do sono que estava, pensou, a principio, que se tratasse de um caso de pederastia*. E ficou atento para expulsar o passivo do grupo, pois uma das leis do grupo era que não admitiriam pederastas passivos. Mas acordou completamente e logo recordou que era impossível, pois Pirulito não era dessas coisas. Devia se tratar de furto. Realmente, o garoto já abria o baú de Pirulito. Pedro Bala se atirou em cima dele. A luta foi rápida. Pirulito acordou, mas os demais dormiam (p.43).

Castigos… Castigos… É a palavra que Pedro Bala mais ouve no Reformatório. Por qualquer coisa são espancados, por um nada são castigados. O ódio se acumula dentro de todos eles. (p.181)

 Curiosidades:

Publicada em 1937, a obra é uma das preferidas do escritor, editor, gráfico e livreiro, diretor presidente do Grupo Editorial Scortecci. O livro retrata a vida de meninos de rua em Salvador e teve a 1ª edição apreendida e exemplares queimados em praça pública, na capital baiana, pela ditadura de Vargas.

Ouça aqui Capitães de Areia